Crítica e análise a um capítulo

6 02 2008

Neste texto não vou falar da matemática… optei por fazer uma crítica e uma análise a um livro, já que só um colega da minha turma (pelo menos que eu saiba), o fez.  Eu gostei especialmente deste livro “Como sobreviver aos melhores anos da nossa vida?”, pela ligação que tem com a realidade e também porque nos ajuda a reflectir em algumas coisas, conseguindo arranjar respostas para algumas perguntas. Este livro fala da adolescência de A a Z, ou seja, das dúvidas, dos dramas, dos problemas, das alegrias, das preocupações, das curiosidades, dos desejos… de tudo o que se possa imaginar sobre a adolescência, de uma forma interessante e divertida, é como se se juntasse o útil ao agradável cativando assim o interesse pela leitura. Um capítulo que gostei especialmente foi “Professores”; é extremamente engraçado e fala dos diferentes tipos de professores, e foi isto que me incentivou a escrever este texto… e a pensar que tipos de professores são os meus.   O meu professor de Área de Projecto é uma mistura entre “Profundo”, porque é simpático, pouco disperso e ocupado com os seus pensamentos e “ Vigoroso”, porque temos de estar sempre a trabalhar e portarmo-nos correctamente na aula, é um defensor do “ trabalho é trabalho” e “recreio é recreio”. A professora de Geografia, é “Literário”, porque fica contente com a profundidade dos assuntos e gosta de frases bem feitas. O professor de Inglês é “Vigoroso”, “ a malta precisa é de trabalhar”. A professora de Matemática, é “Crédula”, pois acredita na nossa inocência, mas depois lá vem o castigo. A professora de Ciências é “Crédula” também. Para o professor de Educação Física escolhi “Desportivo”, pois o lema dele é “O desporto é a minha vida”. A professora de Formação Cívica, é uma mistura entre “Freudiana”, porque se começa a contar o tempo para sair da aula, mas acabamos por ficar ainda mais tempo e “ Vigorosa”. A professora de Francês é uma mistura entre “Não muito nova, mas interessada em ser uma das da malta”, porque está disposta falar do que lhe vai na alma e “Politizada”, por causa de estar sempre interessada em falar no mundo e nas injustiças que nos rodeiam. A professora de Português é algo diferente, talvez “Artística” porque é muito criativa e animada, mas tembém gostaria de dizer, “microondas, cozinheira e engraçada”. A professora de Estudo Acompanhado é “Freudiana”. A professora de História é “Freudiana”, “Vigorosa” e “Literária”. A de Físico-Química é “Profunda” e “Freudiana”. A professora de Educação Visual é uma mistura entre “Artística” e “Crédula”, sempre interessada no nosso potencial criativo. A professora de Música é “Literária”. Infelizmente não tive hipótese de avaliar o professor de Educação Tecnológica, porque ainda não tive essa disciplina. Com tudo o que têm de bom e de mau, são os meus professores e gosto de trabalhar com eles.

  Aconselho este livro, vivamente, a alguém que  tenha especial interesse pela leitura e que goste um pouco de comédia na escrita, como é o meu caso.


Ações

Information

3 responses

10 02 2008
JO

Adorei a parte onde descreveste os professores com palavras “freudinas”. Agora a serio acho que esta bom.

11 02 2008
Tiago Claudio

O teu texto está muito bem feito, mas repetes muitas vezes a palavra “freudianas”. O teu texto está optimo.

5 01 2009
FSP

Está um espetáculo.
Parabéns.
Já agora o que quer dizer “Freudiana”.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: